2007/09/05


Vazio ideológico e o medo

O vazio ideológico tem causas e consequências, como tudo na vida.

A grande causa deste vazio é o vazio ideológico que o sistema global, dominante, incute nos indivíduos, pois só desta forma é que o mesmo pode exercer o domínio sobre os povos, através do medo.

Com este vazio qualquer definição de valores deixa de representar factos e fenómenos, logo é sempre mais difícil atingir o coração humano.

Qualquer luta só se consegue realizar quando o coração humano está disponível para sentir as carências do mundo, que os rodeia.

“A salvação deste mundo humano não está noutro lado senão no coração humano, na capacidade humana de reflectir, na humildade humana e na responsabilidade humana... Ainda continuamos incapazes de entender que a única espinha dorsal dos nossos actos – se é para serem morais – consiste na responsabilidade. Esta responsabilidade vai para além da própria família, da firma, do próprio sucesso.”

Vaclav Havel

É difícil compreender como é que uma maioria consegue ser subjugada por uma minoria, no entanto esta realidade começa a fazer sentido, na medida em que grande parte dos indivíduos que constituem esta maioria, anseia diariamente por fazer parte da minoria, e a minoria serve-se do medo para manter esta maioria.

Quando não nos são incutidos valores para que possamos edificar e impulsionar a nossa consciência e os nossos próprios valores, torna-se necessário, ao longo da vida, esquecer o vazio que existe em nós e deste modo o homem tende a optar pelo caminho mais directo e mais confortável, o status, sendo que este caminho está de “mãos dadas” com o conformismo.

Ao optarem, estes indivíduos sujeitam-se à “realidade”, através de outros indivíduos dominantes, no entanto a sujeição tem um preço muito elevado, pois estes são reduzidos a objectos de posse da minoria.

O segredo é o medo, esta “realidade” sem o medo não era viável.

Em determinado momento, o futuro ser dominado sente um vazio, vazio esse que precisa de se preenchido, o medo está a aproximar-se, pois sente-se só e perdido na sociedade.

Este medo, quando atinge um ponto máximo obriga, automaticamente, o dominado a subordinar-se à vontade do dominante, sendo que o dominado é obrigado a adivinhar e a fazer todas as vontades do dominante, e assim o dominado vai identificar-se totalmente com o dominante, esquecendo-se completamente de si.

Mas para prosseguirem com o sonho do status estes indivíduos dominados precisam de encontrar outros “fracos”, para que os possam dominar, deste modo mantém-se o ciclo, pois o dominado, passa também a ser dominante e desta forma o vazio é esquecido.

A culpa converte-se em salvação.

“O principio do fim das nossas vidas chega no dia em que nos silenciamos sobre o que e importante"

Marthin Luther King

Etiquetas: ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial