2008/03/18

Notas para uma melhor compreensão da teoria classista marxista-leninista

Desvirtuado, quotidianamente, por acepções direitistas e neo-capitalistas, o conceito marxista de classe social permite-nos, no entanto, compreender a actualidade da teoria marxista-leninista, fazendo jus ao libelo acusatório contra o capitalismo que é o « Manifesto Comunista »: « A história de toda a sociedade até agora existente é a história da luta de classes ».

« Virtuosos » defensores da burguesia monopolista enchem jornais, revistas, rádios e televisões com uma série de estudos cujo objectivo fundamental é a defesa ideológica do capitalismo como último estádio da História. A luta de classes seria, desta forma, algo que pertence ao imaginário retrógrado de uns tantos teimosos comunistas. Segundo estes estudiosos, estaríamos num momento da História do capitalismo, pretensamente chamado, por um dos frutos criados pela burguesia dominante, de « era do vazio », no qual todos poderíamos ascender aos estratos sociais mais elevados. A mobilidade social é-nos, assim, apresentada, como um dos fenómenos modernos que contrariariam a pretensamente « velha » teoria marxista da luta de classes.

Com este artigo pretendemos demonstrar a actualidade do pensamento marxista, do ponto de vista da sua concepção classista da organização social que, da sociedade esclavagista ao capitalismo, sempre opôs duas classes antagónicas fundamentais.



  • Etiquetas: , ,

    4 Comentários:

    Às 3:51 da tarde , Blogger Gardagami disse...

    See here or here

     
    Às 1:35 da manhã , Blogger samuel disse...

    Cara "a formiga" (A ou O?)

    Belo blog aqui está!
    Andei a ler "por aí abaixo" e por razões puramente particulares gostei da novidade da "Festa da Alegria".
    Não posso jurar, mas acho que cantei em quase todas as edições "antigas". Sempre gostei muito de actuar na Festa de Braga. Tinha um ambiente muito próprio, que as gentes do Norte e alguns visitantes da Galiza se encarregaram de tornar inesquecível.
    Pessoalmente, continuo com o vício de cantar para esse tipo de auditório, a ver pelo gozo que me deu o "recital intimista" que fiz no Rossio em Lisboa, no dia 1 de Março, para aquela boa meia dúzia de comunistas que por lá apareceram... :)

    Abraço

     
    Às 4:06 da manhã , Blogger maria_maia disse...

    Eu vim de longe
    de muito longe
    e até nem sei ondéquestou...

    Vim só dizer-vos
    QUERO dizer-vos
    uma por dia :)
    RECOMEÇOOUUUUU!!!!

     
    Às 12:18 da manhã , Blogger SOLDADO-NO-FRONT disse...

    Parabens pelo blog, textos muito bem enfeixados, aqui no Brasil também temos uma cultura comuno-socialista.

    !!@v@nte !!

     

    Enviar um comentário

    Subscrever Enviar comentários [Atom]

    << Página inicial