2007/11/10

Durante as eleições presidências foi dito que caso Cavaco Silva fosse eleito presidente da republica, iríamos assistir ao maior ataque de sempre sobre os direitos dos trabalhadores, ao mesmo tempo que o poder financeiro instalado no nosso pais iria aumentar a sua capacidade de por e dispor, a seu belo prazer, dos bens do estado em seu beneficio, mas o povo não acreditou.
Penso que ninguém tem duvidas de quem manda em Portugal, e qual o papel dos sucessivos governos.
Já se sabia que a grande aspiração de Sócrates, era ter a importância que ninguém lhe dava e para isso precisava de um professor, nada melhor do que Cavaco Silva.
Cavaco Silva há muitos anos que já possui as suas teorias para tornar Portugal num pais em que os ricos aumentem drasticamente as suas riquezas, nem que para isso o fosso da pobreza e a fome aumente para a maioria dos portugueses, pois só assim é que as suas teorias podem resultar.

No entanto Cavaco Silva, enquanto primeiro ministro não teve todas as possibilidades de pôr em pratica as suas teorias, pois tinha o PS a recusar essas suas teorias, assim caso fosse ele a impor as politicas actuais contra os trabalhadores, teria a UGT na rua a protestar contra essas mesmas politicas, aqui estava um problema.

Os verdadeiros “mandantes” da politica portuguesa só tiveram que esperar uns aninhos, para conseguirem os seus intentos, bastou à direita alimentar o mito Cavaco Silva, promovendo este, para o Zé povinho se lembrar dele sempre por bons motivos, no que respeita à teórica esquerda só foi preciso ajudar um Sócrates que sempre foi de direita a implementar-se num PS de retalhos, onde o que mais existe é PS zinhos à espera de um tacho, que quando veem uma luz agarram-se e não se importam de fazer qualquer coisinha para estarem nas boas graças.

E aqui está a receita do poder financeiro para conseguir realizar os seus desejos.

Como resultado temos um primeiro ministro que mais de direita não podia ser e que usando o seu ar de santo e de pobre coitado, para alguns, vai impondo ao país as politicas emanadas da teoria cavaquista, em que o resultado é matar à fome os portugueses, e aumentar os lucros do poder económico português, pois é preciso alimentar as bocas esfomeadas de lucro... não interessa a que custo... e claro o Zé vai andando com as suas ilusões, e a UGT vai colaborando para que as politicas cavaquistas/socratistas sejam implementadas, com o menos barulho possível.

Enquanto isso já não existe problema na segurança social, pelo menos para alguns, deste modo o cavaquismo pode ser pago por todos os serviço prestados e a prestar ao grande capital financeiro, deste modo:

Actualmente recebe três pensões pagas pelo Estado:

4.152,00 - Banco de Portugal.

2.328,00 - Universidade Nova de Lisboa.

2.876,00 - Por ter sido primeiro-ministro.

9.356,00 – TOTAL (1 875 709 $ 60)

Podendo acumulá-las com o vencimento de P. R.

Etiquetas: ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial