2007/10/20

O Casimiro casou com o Costa!

O sim na Igreja

No dia 5 de Outubro, a escritura do casamento foi registada no http://www.esquerda.net/ :

“Importante conquista dos trabalhadores avençados da CML”

O Casimiro deu o SIM ao corte de 30% nas despesas com avenças na CML (onde se inclui o salário dos falsos “recibos-verdes”). O Casimiro jura que não haverá despedimentos na CML e que precários e CML estarão juntos, no pior e no melhor, até que a morte os separe: “Serão integradas nos quadros da Câmara”!

O Copo de água

Lançaram-se foguetes e tiros para o ar! O padrinho da boda, o Dr. Zé, fez a festa nos Espaços Verdes, Jardins e Cemitérios de Lisboa. Contra a sua vontade, reabriram em votação camarária o Campo de Tiro em Monsanto, mas o Dr. Zé continua a insistir que põe a família do noivo (O Partido Socialista) e as Damas de Honor (Carmona, Negrão, Roseta e Ruben) a comer na CML pela ementa do Bloco.

Propôs um brinde e celebrou no http://www.esquerda.net/ que “entre 600 a 700 trabalhadores serão considerados trabalhadores com um contrato de trabalho com a CML”. Será? Se for como o Campo de Tiro, já se sabe quem vão ser os patos a levar com o chumbo…

A Noite de Núpcias

Em estado minguante! O Dr. Zé, o Casimiro e o Costa juram que não haverá despedimentos… Será? Vamos aos factos:

Há uns meses existiam 1249 avençados na CML. No último levantamento já só existem 1036… Juram que não haverá despedimentos, mas já começaram os cortes na lista dos convidados.

Concursos públicos que permitiriam a dezenas de trabalhadores ingressar nos quadros da CML foram cancelados, mas os noivos juram combater a precaridade e as relações “one night stand”…

Aprovada no anterior mandato, a medida de integrar os trabalhadores precários ao abrigo do Contrato Individual de Trabalho encontra-se suspensa.
Estão a deitar contas às Avenças para separar o trigo do joio, escolhendo entre os falsos e verdadeiros recibos verdes. Há uma escolha, mas não haverá despedimentos! Os critérios começaram por ser “a florista que ocasionalmente fazia um arranjo nos Paços do Concelho”, depois passou para as “as contratações políticas” e na última versão das várias cartas de amor publicadas no ww.esquerda.net, estavam na calha os “avençados com menos de 3 anos de vínculo” à Câmara. Trocam-se os critérios, mas as juras continuam. Tal como bons amantes, prometem o Céu e a Lua. E juram, juram e juram…

O divórcio

“Lamenta-se portanto a campanha caluniosa, desenvolvida pelos Sindicatos - STML e STAL - e pelo PCP, que tenta pôr em causa a postura do BE em defesa dos trabalhadores” – http://www.esquerda.net/

Quando há contestação, tal como o Sócrates, o Casimiro põe as culpas nos comunistas. Que falta de imaginação: São sempre os malandros dos comunistas! Divórcio entre Casimiro e o Costa? Esqueçam! Basta ler as pérolas publicadas na Central de Propaganda do Costa. A haver um, será entre os trabalhadores precários e a CML. Eles juram que não, mas juras de amor duram o que duram e valem o que valem.

Errata: Onde está escrito "Casimiro" também podes (e deves...) ler "Comissão Política do Bloco de Esquerda


Rui Faustino
  • Ver artigo Original

    Etiquetas:

  • 1 Comentários:

    Às 10:36 da tarde , Blogger M disse...

    Parabéns

     

    Enviar um comentário

    Subscrever Enviar comentários [Atom]

    << Página inicial