2006/06/14


Futebol

Eu também gosto de futebol, não sou “fanático”, mas gosto.
Sou daqueles que se senta para ver um jogo, mas que depressa se levanta quando o jogo não presta;
Sou daqueles, que é do Sporting desde pequenino, porque alguém lhe incutiu o clubismo;
Sou daqueles, que os Sportinguistas pensam que é do Porto, do Benfica,... pois mais vezes digo mal dos jogos do Sporting do que bem, desculpem mas mentiroso não sou.
Sou daqueles que quando houve as desculpas de sempre para justificar a derrota, vai beber um cafezinho;
Sou daqueles que abaixa o som da televisão, quando está a dar um jogo, pois não suporto ouvir as “santas ignorâncias” dos jornalistas, sendo que quem nada percebe de arbitragem, vai colher o “sumo azedo” destes jornalistas para poder discutir futebol no dia seguinte.

Mas por favor, abrirem um telejornal com futebol durante 37 minutos, é de santo, será que deixaram de existir problemas no nosso país, será que tudo está a correr bem no país das maravilhas???? Afinal Sócrates tem razão, estamos num Oásis.

Sobre este tema www.espiritodecontradicao.blogspot.com

Bolas...

Em primeiro lugar deixar isto bem explicadinho não vá ser acusado de lesa-magestade. Eu não sou visceralmente contra a bola. Até gostava de vibrar, de ter que fazer aos domingos à tarde, de beber uns canecos valentes enquanto insultava malta vestida de outra cor. Não estou a ser irónico. Gostava mesmo. A bem dizer, nestas coisas da selecção até consigo cumprir. Mas sem chama...
No entanto sempre me perguntei porque razão o futebol tinha assumido uma proporção quase total na vida de milhares de Portugueses. Como se tinha tornado religião para-oficial?
Desconfio que encontrei a resposta. Porque é fácil. Porque não é necessária nenhuma preparação ou bagagem cultural especial. Toda a sociedade, desde o investigador ao camponês analfabeto pode ser um virtuoso da bola. Saber discutir os lances, em especial o fora-de-jogo, o mais cabalístico de todos. É, em ultima análise, o mais democrático de todos os hobbies.
Gosto da escola contrafactual. Vou pedir-lhe ajuda para cimentar a minha teoria. Quais são os outros temas mais glosados? A crítica do vizinho e a vida das celebridades. Lá está. O mais fácil. Toda a gente sabe cortar na casaca ou elogiar o corte de cabelo da Pimpinha Jardim. Poderão argumentar que isto são coisas que "divertem" que descontraem e sendo o ser humano tendencialmente hedonista...
Erro. Basta ver que a conversa preferida de gente doente são as maleitas. Porque entre si têm informação suficiente para cimentar laços sociais. Nada divertido, convenhamos. Mas fácil...
Mas essa mesma democraticidade transforma-se no seu veneno. De escape das tensões, de passatempo torna-se rapidamente em sedativo social, redutor por excelência da cidadania. Chegamos a ouvir pérolas como «Votar? Só se for no Benfica...». E não tão raramente como seria desejável.
Há muito que socialista por estas paragens deixou de significar amante da cidadania. Agora, Terceira Via oblige, quer-se é produtividade. Bracinhos competentes, mentes adormecidas. Ou acham que o paulatino afastamento da Filosofia, Sociologia ou História de Arte das mesas do Secundário são porque a malta tem dificuldade em pronunciar antropónimos germânicos?
Como tal, vemos toda a máquina estatal e dos média unidos na divulgação do Mundial. Quase levando as pessoas a entender como patriótico o acto de esquecer todos os assuntos que não envolvam verde e vermelho e tricas do futebol. No fundo as mesmas que já se passaram em 86 ou no jogo dos iniciados de 1991 em que o Rubén empurrou o Noutel - filho do Mário - e o arbitro não assinalou. Até o campeão da produtividade liberal, Luis Delgado, se mostrou solidário com a tolerância de ponto para os deputados verem a bola. Se fosse um protesto de têxteis para o cumprimento efectivo das 8 horas diárias, eram comunistas atávicos sem visão de futuro...

Usando a terminologia clássica, Estado e Capital, pelas penas dos seus escribas mais eminentes, dão salvo conduto à populaça para festejar o mais que possa. Quem quer apostar que os "planos de pormenor" do PRACE - entre outras pérolas - serão anunciados no dia de um jogo dos cachopos do Scolari ou entre a repetição de um golo do gajo-que-nos-está-no-goto-porque-da-beijos-na-boca-da-Merche?
É que eu não acredito em bruxas, mas que as há,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial